top of page

Nocturnal é uma chama que não esquenta por muito tempo – Análise

Atualizado: 23 de jun. de 2023


Capa do jogo Nocturnal
Reprodução: Nocturnal | Sunnyside Games
INTRODUÇÃO

Em termos de simbologia, o fogo é um dos elementos que passa pela maior quantidade de retratações tanto em culturas ritualísticas como religiosas. Sua existência é atrelada a ideia de almas errantes até a representação do espírito divino, e a consequência do seu manejo permeia o renascimento, a renovação ou a vasta destruição.


Em Nocturnal, jogo indie desenvolvido pela Sunnyside Games, passeamos pelo culto da Fénix, um pássaro da mitologia grega com o poder de renascer das próprias cinzas. Os membros da ordem "Chama Duradoura" oravam obedientemente ao pássaro mitológico pedindo por forças, e segundo as escrituras do jogo, a sua existência era brutal, curta e vibrante.


Ocorre que o Invisível entidade capaz de subjugar o coração dos homens "olhava com desejo devasso" o mundo verde, implacável e repleto de vida na ilha de Nahran. Sua existência acaba se alastrando através da Névoa e o culto da Fénix se dispersa, com as chamas dando lugar as sombras e ao abandono que agora consomem os templos da Chama Duradoura.


É nesse contexto que o nosso protagonista, Ardeshir, se compromete a retornar à ilha de Nahran, com a missão de extinguir as forças sinistras que agora tomam conta do local.


SOBRE O JOGO

Tela de captura do jogo Nocturnal
Reprodução: Nocturnal | Sunnyside Games

O "gancho" de Nocturnal, inicialmente, é algo extremamente interessante: o fogo embainhado em seu arsenal serve como principal recurso para afastar a Névoa (manifestação do Invisível), incendiar o cenário, ativar maquinários e causar dano nos seres de magia sombria que são imunes ao armamento convencional.


O indie da Sunnyside Games é construído em cima dos gêneros de ação e combate em plataformas, com diversos quebra-cabeças e salas escondidas e espalhadas dentro do jogo. Para trespassá-las, é necessário dominar algumas das mecânicas como a duração temporária das chamas na espada de Ardeshir.


Senti muita influência da direção artística de jogos como Dead Cells e Blasphemous, bem como da construção do design de combate e movimentação em plataforma dos respectivos títulos, mas que logo são abafadas pela árvore de habilidades e construção de mundo e personagens extremamente escassos, além da progressão insatisfatória e mal executada de dificuldade. É um conglomerado de boas ideias, mas que não são capazes de nos aquecer por muito tempo.


Tela de captura do jogo Nocturnal
Reprodução: Nocturnal | Sunnyside Games

Existe uma repetição massiva de elementos no level design, diálogos vazios e poucas respostas nos textos encontrados durante o jogo. A história é extremamente curta e pouco desenvolvida, cheia de lacunas. Quanto às mecânicas, temos quebra-cabeças que logo ficam cansativos e lotar a tela de inimigos muito fortes não é lá a melhor forma de se considerar um bom sistema de progressão. Há um único inimigo que me saltou os olhos em sua composição, mas enfrentá-lo acabou se traduzindo em uma luta extremamente punitiva e pouco recompensadora.


Tela de captura do jogo Nocturnal
Reprodução: Nocturnal | Sunnyside Games

Refleti que, diante do pequeno escopo de Nocturnal, talvez fosse melhor reconsiderar essa sensação constante de "falta alguma coisa" em favor da desenvolvedora, mas exemplos como Raji: An Ancient Epic (Nodding Heads Games), provam que não é preciso muitos recursos para preencher com veemência temáticas de trama familiar, devoção e de busca pela reafirmação de entidades divinas renegadas.


No entanto, isso não significa que não existam bons momentos em Nocturnal. Seu combate é relativamente prazeroso, além da constante sensação de estarmos "purificando" os ambientes conforme progredimos, seja queimando as ervas daninhas ou cremando os corpos de antigos companheiros. Existem alguns picos de qualidade na trilha sonora e as poucas interações que temos com a personagem Yalda também carregam um aspecto contemplativo e de descanso. Um pequeno alívio do grande fardo de ter que restaurar tudo pelo caminho.


Tela de captura do jogo Nocturnal
Reprodução: Nocturnal | Sunnyside games
CONCLUSÃO

Em resumo, Nocturnal é extremamente limitado, transmitindo a todo momento a ideia de que poderia ser mais, muito mais. Com poucos momentos memoráveis e uma jogabilidade escassa e maçante, fico ligeiramente decepcionado com o seu potencial desperdiçado, mas acredito que as boas ideias apresentadas aqui possam ser um rascunho de trabalhos excelentes da desenvolvedora no futuro.


O indie está disponível para compra em todas as plataformas, e você pode conferir todos os links das lojas e valores clicando aqui.



Agradecemos gentilmente a Sunnyside Games pelo envio de chave para análise!





Siga-nos no Twitter: @GameDesignHub


E que tal entrar no nosso grupo do Discord? Lá temos vários eventos, materiais de estudo e uma comunidade incrível esperando por você. É só clicar aqui!

52 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page