top of page

Os 8 tipos de diversão — Artigo

Atualizado: 1 de out. de 2023

Durante o desenvolvimento de um jogo, qualquer que seja, o Game Designer está sempre buscando alcançar a diversão por meio das mecânicas, sistemas, dinâmicas, e estética que seu jogo se propõe a utilizar. Acredito que um dos maiores desafios (talvez o maior deles), seja criar um jogo verdadeiramente divertido, pois a diversão pode ser extremamente subjetiva.


Veja bem, tem gente que se diverte muito jogando futebol, e gente que odeia o esporte e não tem nenhuma vontade de jogar. Mas não se desespere, pois se você souber o público-alvo do seu jogo, o nicho que você está e o que deseja alcançar com seu jogo, você certamente pode encontrar a diversão.

Pensando nisso, Marc "Mahk" LeBlanc (educador e game designer - criador do "8 Types of Fun") quis especificar ainda mais o que seria a diversão dentro de um jogo, e a dividiu em oito tipos. Para LeBlanc, explicar a diversão tem que ir além de palavras vagas como "gameplay" ou simplesmente a própria palavra "diversão". Ao invés disso, devemos subdividi-la, e usar termos mais "direto ao ponto", que seriam esses 8:


1. Sensação Esse tipo de diversão é evocada em jogos que te fazem sentir coisas (alegria, medo, desconforto, surpresa, esforço, etc). Essas sensações podem ser geradas por meio de música, sons, estética, esforço físico (button mashing por exemplo). Um exemplo bacana de jogo que consegue utilizar de sensações para alcançar a diversão, seria Dead Space. Com sua estética sombria, seus sons que remetem ao terror, e decisões de design como o fato de o pause não parar o jogo, mas abrir um menu holográfico, que te faz ver os monstros vindo e te gerando ainda mais medo e ansiedade.

Atmosfera tensa e sombria enquanto uma criatura emerge no fim de um corredor
Dead Space (2008) - A atmosfera traz a imersão e essa, por sua vez, implica na Sensação como uma forma de diversão


2. Fantasia O jogo te transportar para outro universo, uma válvula de escape da realidade caótica (ou calma demais). Um exemplo clássico disso seria o jogo The Legend Of Zelda, e todo universo mágico que rodeia Link, sendo totalmente diferente do que estamos acostumados do nosso mundo normal.


Link olha um horizonte vasto com castelos e montanhas
The Legend of Zelda: Breath of the Wild (2017) - Link enfrenta uma jornada fantástica

3. Narrativa O jogo como uma trama. Nesse caso são jogos que seu foco é contar uma história ou narrativa para o jogador. Um exemplo atual de jogo assim, seria Detroit Became Human. O elemento principal do Core Gameplay Loop do jogo é a decisão entre escolhas durante diversas situações que seu personagem se encontra, e dependendo das suas escolhas, sua história vai mudando, podendo ter um desfecho bacana, ou um super terrível.


4. Desafio O jogo como um grande obstáculo a ser superado. São jogos que divertem o player que é super competitivo ou que quer ter que lidar com situações difíceis (de puzzles até chefões). O maior exemplo que posso pensar, seriam os jogos souls-like (Elden Ring, Dark Souls), que possuem camadas e camadas de desafios, desde a build do seu personagem, até os padrões de ataques de inimigos e chefes.


Malenia, Blade of Miquella, de Elden RIng
Elden Ring (2022) - Malenia, Blade of Miquela, uma das chefes mais difíceis e divisivas de opiniões de fãs

5. Companheirismo O jogo como uma ferramenta social. São jogos que vão divertir o player que possuem as interações sociais como parte essencial do Core Gameplay Loop. Consigo pensar em diversos jogos, mas o que citarei será Among Us, que só é possível jogar com uma certa quantidade de pessoas, e toda a dinâmica da gameplay se consolida por meio de um impostor, um detetive, e o resto da tripulação. O diálogo entre os jogadores durante cada morte e as teorias de quem matou, são o que tornam a experiência marcante e divertida (por meio de blefes e discussões acaloradas).


6. Descoberta O jogo como ferramenta de exploração. São jogos que possuem grandes mundos (algumas vezes abertos) para que o player explore e conheça todas as maravilhas e perigos que ele possui. Alguns exemplos de jogos que conseguem criar essa atmosfera e divertir por meio da exploração, seriam Assassin's Creed, Tomb Raider, GTA, Uncharted, e por aí vai.


7. Expressão O jogo como ferramenta de autodescoberta. São jogos que permitem que o jogador se expresse por meio das mecânicas, sistemas e modos de jogo que ele possuí, desde um desenho até uma super construção, por exemplo. O principal exemplo disso seria o jogo Minecraft, onde você pode explorar sua criatividade ao máximo, com construções, mods, e infinitas outras possibilidades que o jogo apresenta.

vários tripulantes de uma nave do Among us saem dos portões
Among Us (2018) - Among us é um jogo cooperativo assimétrico


8. Submissão O jogo como um passatempo. São jogos que tem o "farming" ou "grinding" como o principal elemento do Core Gameplay Loop. Tem literalmente um milhão de exemplos assim quando falamos do mercado mobile, sendo alguns deles: FarmVille, Clash of Clans, Coin Master, Adventure Capitalist, etc.


Bom, esses são os 8 tipos de diversão, espero que tendo cada um deles em mente, você consiga desenvolver um jogo divertido, de qualquer forma que desejar.


Fontes do conteúdo citado:


Editado por: Breno Mancini

191 visualizações3 comentários

3 comentarios


Darwin Brandão
Darwin Brandão
08 jun 2022

Muito legal o site e a iniciativa. Também comecei um blog sobre game design e fico feliz de ver que a comunidade está crescendo no Brasil.

Me gusta

Noventa Porcento
Noventa Porcento
16 abr 2022

Conceito muito interessante que eu não conhecia! Gosto um pouco de cada :)

Me gusta

Breno Mancini
Breno Mancini
02 abr 2022

É massa como game design pode desconstruir o conceito de diversão. Conceito muito massa!

Me gusta
bottom of page